O Polo Multimodal está assinando um acordo de cooperação técnica com a Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Amarante para prescrever as premissas e requisitos para a realização do terminal de uso privado (TUP) da Taíba. A administração municipal já decretou as áreas de interesse como de utilidade pública.

O Polo Multimodal manifestará interesse no âmbito da legislação brasileira de concessões para desenvolver estudos técnicos e de viabilidade, modelagem econômico-financeira e jurídica para a concessão do TUP Taíba, importante equipamento para promover o desenvolvimento econômico da região em complemento ao porto público já existente na região do Pecém, colaborando para a consolidação de um cluster de transporte marítimo e alavancando a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) da região.

O TUP da Taíba terá por finalidade atender a empresas que demandam estrutura portuária própria. Ao invés de concorrer será complementar ao porto público do Pecém. Após a conclusão dos estudos, modelagens e obtenção de licenças, o Polo Multimodal pretende concorrer à concessão, por meio de uma subsidiária integral de propósito específico. Ainda na fase preliminar de estudos para a concessão, será identificada uma grande indústria com a qual será negociada e formalizada uma Joint Venture.

Situação atual

  • Acordo de Cooperação Técnica: assinado com a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante.

  • Formalização de acordo entre a Prefeitura e a União para realizar o chamamento público para autorizar os estudos, projetos e modelagens para o TUP.

 

O POLO MULTIMODAL PECEM está licenciando o aeródromo executivo e de carga no município de São Gonçalo do Amarante (CE). O aeródromo, que surgirá em frente ao Polo Multimodal, foi projetado com uma pista de 1800 metros de comprimento para poder receber aeronaves do tipo Gulfstream G500 na primeira etapa, Boeing 737 e Airbus 310 na segunda etapa de seu desenvolvimento.

A construção do aeródromo completa os modais do Polo Multimodal, aprimora o projeto, proporciona melhorias para toda a região e promete atrair setores da indústria relacionada ao transporte de carga aérea.

A valorização do aeródromo como potencial geração de lucros futuros, bem como os efeitos sobre o aumento da demanda induzida no interior do Polo Multimodal, são objetos de estudos e não estão incluídos na avaliação atual do projeto. O projeto do aeródromo, mesmo antes da concretização da sua construção física, deve ter uma repercussão significativa no valor das tokens nos Exchanges internacionais, pelo efeito da obtenção das licenças para operação.

Uma vez obtidas as licenças, procederemos à criação da empresa aeroportuária, subsidiária integral do Polo Multimodal. A execução poderá ser realizada através de uma joint venture (Modelo A) com uma empresa líder do setor ou recorrendo ao mercado de capitais (Modelo B), analisada a melhor alternativa para os detentores de Token (Token Holders).

Situação atual:

  • Terreno: opção de compra.

  • Estudos preliminares do projeto: concluídos.

  • Licenças: em andamento.

 

O POLO MULTIMODAL PECEM projetou uma área conectada à ferrovia Transnordestina para o armazenamento de mercadorias importadas na modalidade “Porto Seco”.

Porto Seco é um terminal terrestre intermodal diretamente conectado por rodovia e ferrovia, sendo um depósito alfandegado localizado na zona secundária (fora do porto organizado). Recebe as cargas ainda consolidadas, podendo nacionalizá-las de imediato ou funcionar como um entreposto aduaneiro. Dessa forma, o porto seco armazena a mercadoria do importador pelo período que deseja, sob um sistema de suspensão de impostos, e pode fracionar a nacionalização.

A licença para um “Porto Seco” dentro do Polo Multimodal irá atrair alguns tipos específicos de indústrias dispostas a pagar aluguel mais alto por espaços logísticos, devido ao impacto fiscal positivo que ele gera sobre as receitas das empresas instaladas.

O impacto de um “Porto Seco” dentro do Polo Multimodal acarretará um aumento significativo na demanda de empresas e consequentemente na cotação dos tokens nos Exchanges internacionais.

Uma vez obtidas as licenças, prosseguiremos com a criação de uma empresa, subsidiária integral do Polo Multimodal. A execução poderá ser realizada através de uma joint venture (Modelo A) com uma empresa líder do setor ou recorrendo ao mercado de capitais (Modelo B), analisada a melhor alternativa para os detentores de Token (Token Holders).

Situação atual

  • Terreno: definido, propriedade do Polo Multimodal.

  • Estudos preliminares do projeto: concluídos.

  • Licenças: em andamento.

 

O objetivo é tornar o Polo Multimodal um hub de atração de startups no Brasil, focado principalmente na indústria 4.0. As tecnologias a serem desenvolvidas estão incluídas nos universos da nanotecnologia, neurotecnologia, biotecnologia, robótica, inteligência artificial e armazenamento de energia. Parte dos recursos arrecadados via tokenização e parte dos dividendos gerados pelo Polo Multimodal serão alocados em investimentos nas startups mais promissoras. Os lucros futuros gerados a partir do sucesso das startups levarão à valorização do Polo Multimodal e à elevação da expectativa de lucros em geral.

Situação atual:

  • Estão sendo assinados os acordos de colaboração com as primeiras startups.

 

A Energy Valley está inserida em uma área de 4.000.000 m², localizada a poucos quilômetros do Polo Multimodal. Será destinada a projetos de geração de energia limpa e à instalação de startups inovadoras.

Contexto

Por estar localizada em uma região com um dos maiores índices de insolação do mundo e por apresentar vento constante, a Energy Valley, no estado do Ceará, apresenta condições favoráveis para a geração de energias renováveis. Além disso, está inserida em um contexto industrial de pujante desenvolvimento, que garante uma demanda crescente de energia e proporciona resíduos que podem ser transformados em energia limpa.

Objetivos

Criar as condições favoráveis, em termos de infraestrutura, tecnologia, know how e simplificação burocrática para a atração de:

  • projetos para geração de energia limpa;

  • empresas com soluções inovadoras de geração de energia limpa.

Acordo entre a Energy Valley e o Polo Multimodal

O Polo Multimodal selou um contrato de parceria com a empresa proprietária da área que receberá as instalações da Energy Valley. A área entra em permuta com um percentual sobre as futuras receitas geradas nos negócios instalados. O Polo Multimodal fica responsável pela atração de negócios na Energy Valley, na gestão e na tomada de decisões estratégicas.

Business Model

A geração de lucro para o Polo Multimodal (e para os tokenholders) poderá advir de dois modelos de negócios diferentes:

  • Participação no lucro gerados pelos projetos de energia limpa instalados na Energy Valley;

  • Participação nas empresas (startup) com projetos inovadores para a produção de energia limpa.

O Polo Multimodal escolherá entre os mais promissores projetos, disponibilizando o terreno, viabilizando as redes de relações locais, nacionais e internacionais para o desenvolvimento e crescimento da startup. Poderá também investir diretamente no projeto em si, participando do lucro da empresa.

Situação atual:

  • Contrato de parceria entre o Polo Multimodal e a empresa proprietária das áreas da Energy Valley: assinado.

 

A Polo Swiss Development Ag é o emissor dos token utility Polocoin na ICO.

O token utility está sendo incorporado em uma empresa holandesa, a Polo Holland Development, com sede em Amsterdã.

O POLOCOIN, baseada na tecnologia blockchain, é uma criptomoeda projetada para pagamentos de serviços e bens no mercado simbiótico dentro do Polo Pecem Multimodal, ZPE (zona franca) e do Porto do Pecém.

O PoloCoin oferece uma nova perspectiva sinérgica entre três entidades que não competem entre si. Cria-se um ecossistema propício no qual todos os atores têm como objetivo o desenvolvimento socioeconômico.

O Polocoin serve como um meio de troca entre os players que participam da Rede Social Simbiótica. Os players externos podem comprar produtos e serviços usando tokens POLOCOIN, distribuídos entre investidores, fornecedores de produtos e serviços e proprietários de imóveis.

Nossa equipe empregará as tecnologias blockchain e smart contracts para desenvolver a plataforma, por meio da qual os usuários terão acesso aos mercados com a garantia de qualidade e transparência nos negócios.

 

Ademais, será concebida mais uma plataforma para as empresas integrarem soluções para o comércio no ecossistema, recorrendo à infraestrutura blockchain como método seguro em sistemas distribuídos (peer-to-peer). Outra utilização será na logística comercial baseada em blockchain e soluções de gestão financeira que promovem eficiência e transparência, dispensando intermediários e etapas desnecessárias de averiguação.

Situação atual

  • PoloCoin White Paper: em progresso.

O Polo Multimodal assinou um acordo de colaboração com a Hyperloop Tech, com a finalidade de desenvolver uma pesquisa e um estudo de viabilidade para a realização de um transporte baseado na tecnologia Hyperloop. A finalidade é aumentar a competitividade da logística no nordeste do Brasil, conectando o Porto do Pecém com outras regiões logísticas relevantes para o transporte de carga.

A recente parceria fechada entre o Porto de Hamburg e a Hyperloop para o transporte de containers despertou o interesse do Polo Multimodal em sondar novas soluções logísticas no transporte das cargas conectadas com o Porto do Pecém.

Uma vez finalizado o estudo e apurada a viabilidade econômica, o Polo Multimodal terá prioridade para a realização do projeto de transporte. Poderá, então, captar os fundos ou fechar parcerias para a execução física das obras e distribuir os lucros para os tokenholders.

Av. Monsenhor Tabosa, 1136   

Meireles, Fortaleza - CE, Brasil

CEP 60.165-010

 

contato@polomultimodal.com

Tel. +55 85 3263 1838

POLO MULTIMODAL PECÉM INVESTIMENTOS S.A.,

inscrita no CNPJ sob o nº 16.530.145/0001-34

© 2018 POLO MULTIMODAL PECEM - Todos os direitos reservados